segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Arrumando o quarto – O Épico. parte 2


Depois de ter revirado tudo de cabeça para baixo eu tive que voltar meio que pra estaca -1. :P

Por uma incrível coincidência Diogo veio pra cá novamente pra ficar batendo papo comigo enquanto jogava fora kilos e mais kilos de papel.

Dessa vez tem coisas mais interessantes como as várias caixas que peguei no supermercado pra me ajudar a separar direitinho, sem deixar nada solto por aí, o que ia pro ser doado, do que ia ser devolvido, do que ia pro lixo.

Novamente uma pizza pra comemorar a boa companhia do meu amigo.

Adoro meu apartamento e a localização dele.

Por ser um sábado a noite e flautas doces não fazerem barulho maior que televisões que ficam ligadas pela madrugada, ninguém reclamou de ficarmos tocando até uma da manhã.

Jogando partituras fora a tentação de tocar é muito grande. Relembrar os velhos tempos com muito medieval, renascença e barroco!!!

Muito bom ter uma frigideira com teflon novamente!

Depois da falta de sucesso em conseguir mais caixas (domingo de manhã não é o melhor dia para tal) o bode e eu fomos até a Casa e Vídeo comprar utensílios de cozinha. Saí de lá com uma frigideira, dois potes para cebola, uma faca pra legumes (adorei esse item!) e uma espátula de nylon pra que o teflon da frigideira dure mais do que o da outra. Não vejo a hora de sair da frente do PC e ir picar cebolas com a minha nova faca!!! =D

Recomendação: Não assistam “A Cela”

Ainda no domingo, depois de encher duas caixas de coisas pra jogar fora, fomos até a casa da Luana assistir filme e fotografar coisas aleatórias.

Chegamos a conclusão definitiva de que “A Cela” não vale muito a pena assistir. O visual era deslumbrante, como em todos esses filmes que tem algo pra atrair público e ganhar dinheiro mesmo se o roteiro não for lá essas coisas. A trilha horrível, com um tom bizarro logo de cara, sem preparar pra clímax nenhum, só metais, metais e mais metais, como me parece ser o gosto do Howard Shore, que me deu a impressão, mais uma vez, de esquecer que o naipe das cordas ta ali e pode fazer mais. E a decepção com o fato de poderem falar de tanta coisa quando o tema é entrar na mente de um psicopata e deixam quase todas elas de lado (a futura psiquiatra que o diga). Eu já tinha me dado conta que o filme podia ser assim, mas bateu a curiosidade, .

Relógio interno ajustado para o horário de faculdade.

Ele deu indicações de que está pronto pro início do semestre, apaguei ontem às 22:00 e acordei pontualmente às 6:00.

Agora só falta esperar o sol baixar pra continuar movendo kilos e kilos de papel. Acho que farei um catador de papel bem feliz nesse fim de mês.

Foto: Diogo e Che (gato da Luana)

P.S.: Esse bode não consegue ficar longe de gatos.

4 comentários:

L.S. Alves disse...

Gostei do blog, da frigideira, da foto, das cebolas, do papel e de muitas outras coisas.

D. disse...

AAAAAAAARRRRRRRLLLLLLLLLL! Eu sou um bode que come gatos com batatas... (Tá bom ,Clara e com cebolas também!!!! )

Grivicich disse...

Nossa, que bom que alguém gostou. Sempre fico na dúvida se alguém vem aqui ler.

Grivicich disse...

Aaarrrlll Meu amigo que gosta de raízes!!! E Gatos!!! Arrrlll...